Empreendedorismo feminino vem crescendo a cada dia

O empreendedorismo feminino segue avançando a passos largos no mundo dos negócios. Elas vêm mostrando que entendem muito bem de finanças, gestão e administração de um negócio.

Por serem, muitas vezes, mais detalhistas, elas conseguem enxergar de maneira mais rápida onde estão os erros e ajustá-los, antes que façam muitos estragos.

Esse é um belo diferencial e, é claro, existem muitos outros que fazem das mulheres empreendedoras um grande destaque no mercado.

Vamos agora entender um pouco mais sobre o assunto, saber de estatísticas, desafios e muito mais. Confira!

O empreendedorismo feminino é uma forte tendência

Elas desejam não só ganhar o próprio dinheiro, mas também criar empresas de grande sucesso. Trata-se não só de uma tendência mundial como também brasileira.

Só aqui no Brasil já existem mais de 24 milhões de empreendedoras de acordo com uma pesquisa publicada pelo Sebrae em 2019.

E vamos pensar que esse número cresceu muito mais com a pandemia. Afinal de contas, muitas mulheres perderam seus empregos ou os maridos. Consequentemente, muitas delas tiveram que criar o próprio negócio em casa, especialmente no ramo de alimentos.

A grande maioria das empreendedoras brasileiras começam um negócio sozinha. Isso representa mais de 81% delas.

Quais as principais dificuldades enfrentadas?

Apesar do grande crescimento das mulheres empreendedoras, ainda há muito preconceito e muito espaço para conquistar. Infelizmente, alguns homens e até mesmo algumas mulheres não aceitam que elas estejam à frente de um negócio.

A primeira dificuldade é algo pela qual elas brigam há séculos literalmente: igualmente de salários.

Apesar de serem a maioria com nível superior, as mulheres ainda ganham 22% a menos que os homens considerando o mesmo trabalho e a mesma função. 

Além disso, mais de 40% das mulheres encerram um negócio, ou seja, desistem antes do que os homens. Isso se deve a diversos fatores como: falta de apoio, dificuldade em conseguir um empréstimo (em alguns casos por preconceito), jornada dupla ou tripla, maternidade e assim por diante.

E assim, podemos falar na motivação para abrir um negócio. A maioria das mulheres empreendedoras fazem isso por uma necessidade.  

Aqui temos muitas mulheres no mercado de trabalho, mas poucas ainda no cargo de liderança. Enquanto a média mundial é 16,9%, no Brasil, essa média é de 8,6% colocando o país no 38º lugar no ranking mundial.

Sim, são muitas as dificuldades, mas vocês já mostraram que conseguem vencer uma a uma.

Qual o perfil da mulher empreendedora?

Só para constar, não existe isso de “nasceu para empreender”. De fato, algumas pessoas têm mais facilidade com o empreendedorismo, pois conseguem vender de forma mais fácil, têm boas ideias de negócio.

Porém, empreender é uma habilidade que pode ser aprendida e construída. Além disso, você pode transformar algo que você sabe fazer em um grande negócio. 

Outro ponto importante: não existe idade para começar. E, para provar isso, vou contar a história da Alzira Ramos, que com 60 anos teve que deixar o trabalho para cuidar da mãe doente e começou a fazer bolo para vender. Hoje ela é dona de uma rede de franquias e em 2017 já faturava 150 milhões de reais!

E o que é necessário para se tornar uma empreendedora de sucesso? Você precisa ter planejamento, capital para começar e manter um negócio por certo tempo e, o mais importante, persistência. Há pessoas que hoje faturam muito, mas demoraram cerca de 10 anos para ver o negócio deslanchar.

Não estamos dizendo que você vai demorar esse tempo, até porque, provavelmente, você não pode se dar a esse luxo. 

Mas a questão da persistência é algo que você precisa ter em mente, afinal de contas, nenhum grande empreendimento se constrói da noite para o dia ou mesmo em apenas 1 mês.

Aprender a delegar quando preciso é outra coisa importante e uma “sacada” que as empreendedoras devem ter. Por exemplo, serviços de marketing, fazer publicações em redes sociais. Se você não sabe como, o melhor é delegar para uma agência ou mesmo um social media, enfim, terceirizar.

Mas o mais importante mesmo, de todas essas características, é amar o que faz.

Pode parecer clichê, mas é verdade. Como você vai atender bem os seus clientes fazendo aquilo que não gosta? A insatisfação vai transparecer no seu jeito de falar e de agir e a gente sabe o quanto um bom atendimento é importante, aliás, ele costuma ser o diferencial nos negócios, especialmente se você pretende oferecer serviços.

Como começar um novo negócio?

Hoje em dia, com a internet, você não precisa de muito para abrir um novo negócio. Por exemplo, se você pretende vender roupas, pode comprar por um site, estocar em casa e construir um catálogo digital para mostrar todo o seu estoque para as suas clientes por meio do WhatsApp, por exemplo.

Para começar um negócio, você vai precisar seguir alguns passos. Vejamos quais são eles.

Passo 1: monte uma ideia de negócio

O que você pretende vender e como pretende vender? Vai ser produto ou serviço? Para saber qual será o seu negócio é bom aliar alguns fatores na hora da decisão, por exemplo, escolher algo que já tem conhecimento, que gosta de fazer e que também têm chances de dar dinheiro.

Passo 2: precisa ter o perfil

Normalmente, uma empreendedora não pode ter medo de se arriscar (riscos calculados) e também precisa entender e saber lidar emocionalmente com os altos e baixos do mercado.

Passo 3: reúna informações sobre o que vai precisar

Uma empresa é feita de várias coisas e não só da dona e do produto ou serviço. Você vai precisar de serviços contábeis para deixar tudo alinhado, vai ter que pensar em organização financeira, entender como está o mercado, fazer o marketing, entre outras coisas que forem surgindo.

Passo 4: tenha organização

Vá listando o que precisa fazer em ordem de prioridade nas mais diversas áreas do seu negócio. Por exemplo, se você não pode abrir um negócio físico agora, encontre uma ferramenta que te ajude a expor seus produtos para os consumidores.

Passo 5: ponha a mão na massa

Chegou o melhor momento: tirar os planos do papel. Pode dar muito frio na barriga, mas sem dúvida alguma, é muito bom ver o seu negócio se transformando em realidade. Por isso, vá em frente!

Gostou de saber mais sobre empreendedorismo feminino? Com certeza você conhece outras mulheres que gostariam de saber também. Compartilhe com elas este conteúdo!

Deixe uma resposta